Daniel Jorge
A poesia faz a gente ver a vida de forma diferente, mesmo enfrentado tudo e todos.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

As escrituras se cumprem
O mundo acompanhou recentemente a chegada do bebê que simboliza o 7 bilhões de pessoas. A Ásia, onde vivem dois terços da população mundial, foi o local onde nasceu uma pequena filipina de nome Danica. Danica May Camacho, nascida no domingo dia 30 de outubro, dois minutos antes da meia-noite, no José Fabella Memorial Hospital, um centro público da capital filipina, tinha 2,5 quilos. Seus pais, Florante Camacho e Camille Dalura, foram felicitados por representantes das Nações Unidas. O fato ilustra os desafios planetários de crescimento demográfico. Fonte: G1

Diante da informação, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, celebrou a marca de 7 bilhões de habitantes no planeta, convocando a família a trabalhar para que o futuro seja melhor do que "o mundo de terríveis contradições" dos dias atuais. "Hoje recebemos o bebê de 7 bilhões. Com isso, devemos reconhecer nossa obrigação moral e pragmática de fazer o correto por ela", ressaltou Ban em entrevista coletiva. Ban afirmou que entre os desafios importantes do planeta atualmente estão: "a crise da fome no Chifre da África, os confrontos na Síria e em outras partes, os protestos contra a crescente desigualdade econômica, além do descrédito dos Governos e das instituições públicas". Fonte: Uol

Mas, o que fazer em um planeta que cada vez mais se configura o certo como errado e o errado como certo? A minha mãe dizia que ia chegar um tempo, que a roda grande ia girar dentro da pequena. Eu ficava me questionando com essa afirmação! Hoje é possível perceber alguns sinais, que nos remete a isso. Poderíamos até dizer que o mundo está sem pés e sem cabeça, sofrendo as conseqüências das ações de seus habitantes. E essas conseqüências têm marcas registradas na vida de muita gente.

Todos os dias aparecem nos noticiários, homens matando outros homens, filhos matando seus pais, políticos roubando sem trégua e neste cenário tem muito mais. Crianças pedindo um colo e um pedaço de pão pra comer. Jovens sem ir à escola e sem um trabalho digno para viver. Vejo isso tudo e fico pensando... Não sei o que pode acontecer. “Homens” se dizem preocupados, mas nada fazem para resolver.

E eu pergunto: Onde anda o ser humano e o que leva no seu coração? Será que só trás ódio, desrespeito e desilusão?Onde anda a segurança? Onde anda a união? Onde anda o Amor a Deus e a Paz de seus Corações? Que conquistas teremos, quando esse dia raiar, revelando nosso defeito que jamais vão se apagar. Isso parece distante, mas depende de mim, de você, de todos nós.  Precisamos unir forças. Precisamos acreditar que somos capazes de fazer diferente. Precisamos acreditar que a vida ainda vale apena ser vivida.

Cadê nossa inteligência? Cadê nossas inúmeras criações? Que não passam de trapo-velho, objeto em nossas mãos. Feito com criatividade, capacidade até de matar. Enquanto isso, assistimos a vida de pobres coitados que não tem se quer onde morar. Cadê os gênios da criação para poder inventar? Inventar projetos que possam beneficiar mais de 1 bilhão de pessoas que não tem com que se alimentar.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), no mundo há exatamente 1,017 bilhão de famintos. Desses, 642 milhões são da Ásia e do Pacífico, 265 milhões da África, 42 milhões da América Latina e Caribe e 15 milhões dos países desenvolvidos. E para 2050, a ONU prevê uma população mundial de 9,3 bilhões de pessoas e, até o final do século, essa marca deverá ser superior a 10 bilhões de habitantes. E aí????

Como falar de paz? Como falar de Amor? Falar de Solidariedade diante de tanto terror! Rogar a Deus é o caminho. É a única solução. Diante desses mistérios que já tem confirmação. As escrituras se cumprem, e os homens não querem acreditar. Mais saibam que cedo ou tarde o barraco vai desabar.
Daniel Jorge
Enviado por Daniel Jorge em 29/11/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Daniel Jorge). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários