Daniel Jorge
A poesia faz a gente ver a vida de forma diferente, mesmo enfrentado tudo e todos.
Capa Meu Diário Textos Áudios Fotos Perfil Contato Links
Textos
Hoje, compartilho com você uma análise em perspectiva de caráter especulativa, sem deixar de lado os recentes fatos, propagados em tom libertário pela grande mídia. Para nortear o raciocínio, utilizarei como fio condutor a pergunta: quem vai julgar certos prefeitos e governadores no pós coronavírus? A pertinência deste questionamento se dá a partir da decisão do Supremo Tribunal Federal - STF de que Estados e Municípios ficam autorizados a tomarem as decisões que julgarem necessárias durante o surto do vírus chinês, mesmo que venham contrariar as decisões do Governo Federal. Este é, sem dúvida alguma, um aval suicida e qualquer pessoa que tenha o mínimo de honestidade intelectual consegue perceber isso.
 
CONTEXTO
 
Quanto mais o tempo passa, aumenta cada vez mais as evidências de que a preocupação do STF, do Congresso Nacional e de muitos governadores e prefeitos, embora use o nome ‘povo’, não estão nenhum pouco preocupados com o povo, mas, em construir narrativas e criar um caos social que possibilite enquadrar o presidente da república, fazendo com que o Brasil volte a manter o status quo do “toma lá da cá” de um passado recente. Vejamos: o presidente Bolsonaro se dirige a nação em pronunciamento e diz: - “vamos trabalhar, pois se continuar assim o País vai quebrar”, os chefes do Congresso, prefeitos, governadores e até ministros do STF dizem: - “não, fiquem em casa”.
 
Para disfarçar o cuidado duvidoso o Congresso vai lá e aprova o auxílio emergencial de R$ 1.200,00 para até duas pessoas da mesma família ou para as mães que são chefe de família e de R$ 600,00 para trabalhadores informais, pessoas que tenham contrato intermitente inativo, autônomos e microempreendedores individuais. Em seguida, numa jogada no mínimo escandalosa, a Câmara dos Deputados aprovou no dia 14 de abril, um auxílio emergencial para estados e municípios na ordem de mais de 80 bilhões de reais, referente, - atente bem, ao período de abril a setembro de 2020, para recompor a “queda” (provocadas pelos próprios) do ICMS e do ISS, tendo por base os mesmos valores que foram arrecadados no ano passado. Detalhe: todo este montante de dinheiro sem nenhuma contrapartida dos estados e municípios. É mole?
 
Durante coletiva de imprensa no final da tarde de quinta-feira, dia 16, ocasião em que anunciou a saída de Mandetta e apresentou Nelson Teich como novo ministro da saúde, o presidente Bolsonaro voltou a advertir para o risco de colapso econômico. E acrescentou: “o País não suporta isso por muito tempo”. Em entrevista a CNN, Bolsonaro disse que “embora o parlamento tenha independência, não pode sair fazendo conta para o contribuinte pagar”. Para completar a dose, a Câmara dos Deputados aprovou ainda na quinta – feira, dia 16 de abril, a ampliação do auxílio de R$ 600,00 para pescadores profissionais artesanais, aquicultores, motoristas de aplicativos, caminhoneiros, entregadores de aplicativo, diaristas e agentes de turismo. Todas as cifras autorizadas pelo Congresso, serão pagas com o meu e o seu dinheiro. É bom, né, atirar com a pólvora alheia!
 
Estas medidas adotadas pelo Congresso Nacional chegam às massas, especialmente, pela grande mídia, com um embrulho especial, capaz de provocar os suspiros (de dona Florinda quando via o professor Girafales), nos que recebem estas “informações” a respeito dos bons moços e moças do Congresso brasileiro. Acontece, que sem muito esforço é possível perceber que são ações maquiavélicas, que possui um único propósito – usar a necessidade das pessoas para firmar posição em seus projetos demoníacos de poder. Repito: isso tem ficado cada vez mais evidente nas decisões do STF, do Congresso, e de muitos governadores e prefeitos. São mercenários disfarçados de autoridades.
 
DESEMPREGO
 
O site Diário Contábil em um artigo publicado no dia 28 de março aponta que, se continuar por mais tempo as medidas de isolamento social que estão sendo adotada, a taxa de desemprego no Brasil pode atingir 20 milhões de pessoas. O artigo apresenta uma análise geral da situação, avalia a realidade brasileira na perspectiva de especialistas e apresenta as medidas e os impactos verificados em outros países no enfrentamento ao vírus chinês. Conforme o artigo, devido à “restrição das pessoas nas ruas, comércio e serviços serão os setores que mais devem ter desemprego, especialmente o turismo (companhias aéreas, hotéis, bares e restaurantes)”.
 
Esta semana recebi um vídeo, onde o vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio, Francisco Valdeci de Souza Cavalcante explica a situação atual do comércio no Brasil. De acordo com Valdeci Cavalcante “mais de 600 mil empresas já fecharam definitivamente suas portas. Só essas empresas demitiram mais de 9 milhões de empregados”. Entre outros assuntos tratados no vídeo, Valdeci Cavalcante denuncia o esquema que foi montado e vem sendo sustentado por governadores e prefeitos, especialmente no Piauí.
 
Diz ele: “eu tenho prova do que realmente esta acontecendo neste País, que me foi dito por um prefeito aqui do Piauí. Eu cobrei dele que abrisse o comercio da cidade. E ele me disse: - ‘Dr. Valdeci, a minha cidade está sofrendo, os comerciantes estão me pressionando, o povo está passando necessidade, mas eu não posso abrir agora. Nós só vamos abrir, prefeitos e governadores, depois que o Senado aprovar, o que a Câmara aprovou, e depois que o Senado aprovar nós vamos esperar o presidente Bolsonaro sancionar. Só depois que ele sancionar aquela ajuda para os estados e municípios é que nós vamos abrir o comércio’”. E acrescenta: “Eu estou dizendo isso, por que tenho gravado no meu celular”. Confira o vídeo na íntegra AQUI.
 
SAÚDE NO PIAUÍ
 
Na quinta – feira, dia 16 de abril, o presidente do Sindicato dos Médicos do Piauí, Dr. Samuel Rego publicou um vídeo nas redes sociais denunciando a forma de atuação do governador Wellington Dias (PT) no combate ao vírus chinês. O médico argumenta que “as medidas que veem sendo adotadas pelo governador não são eficazes para combater à epidemia”. De acordo com o Dr. Samuel Rego, “o Estado possui uma UTI, que está pronta e fechada. Trata-se da UTI do Hospital da Polícia Militar”. Ele explica que “o sindicato esteve no HPM em julho de 2019 e denunciou esta UTI fechada, que está aguardando apenas a contratação de profissionais para funcionar”. O médico informou ainda que a UTI dispõe de 10 leitos. Dr. Samuel lembra que “já estamos há mais de quatro semanas de isolamento social e o governo se quer apresentou um projeto para fazer essa UTI funcionar”. Por outro lado, acrescenta: “o governo fala de hospital de campanha onde vai gastar muito mais recurso e com pouca efetividade”. Confira o vídeo na íntegra AQUI.
 
No sábado, dia 18 de abril, Dr. Samuel Rego publicou novo vídeo onde comenta sobre uma nota emitida pelo Secretário Estadual de Saúde, Florentino Neto, a respeito das declarações contidas no vídeo anterior. Para reconfirmar o que tinha dito anteriormente, Dr. Samuel Rego apresentou um ofício que “o secretário de saúde do Piauí encaminhou no dia 17 de julho de 2019 ao Tribunal de Justiça, apresentando um plano de ação para recuperação da saúde pública no Estado”. Ele explica que “dentro deste plano constava 10 leitos de UTI para o Hospital da Polícia Militar, que já estava 80% concluído e as verbas já estavam todas garantidas”. Conforme Dr. Samuel Rego o valor total do investimento era de R$ 1.970.125,15 (um milhão, novecentos e setenta mil, cento e vinte e cinco reais e quinze centavos). “Esses leitos de UTI simplesmente não estão funcionando”, afirma o médico.  Confira o vídeo na íntegra AQUI.
 
ANALISANDO OS FATOS
 
Como podemos notar, existe muito dinheiro na jogada. Portanto, retomando nosso questionamento, fica fácil presumir que – se o STF autorizou governadores e prefeitos tomarem decisões diante da “crise”, mesmo que contrarie as decisões do Governo Federal, e se não houve, ao menos uma recomendação explícita do mesmo STF a respeito dos gastos que vem sendo gerados pelo Congresso, praticados por estados e municípios, significa dizer que prefeitos e governadores estão respaldados para torrar da forma que acharem convenientes as cifras que chegarão nos próximos dias. Você duvida disso?
 
Vamos analisar por outro ângulo, se prefeitos e governadores estão autorizados pelo órgão máximo da justiça brasileira – o STF, a tomarem decisões e justificarem estas decisões com o vírus chinês, é possível que os legislativos municipais e estaduais, além dos órgãos reguladores, embora identifiquem irregularidades, sejam desencorajados a entrar com ações na justiça contra os desmandos desses gestores, e se, na melhor das hipóteses, algum processo vier a chegar ao Supremo, acho que já sabemos a resposta. Portanto, os governadores e prefeitos, ao que parece se encontram perante a justiça, especialmente no que depender do STF, numa situação muito confortável.
 
Por outro lado, imaginemos como estará o desemprego em nossas Cidades e consequentemente, no nosso Estado e no País, após o término desta “crise” provocada não pelo vírus, mas pela vileza de gestores que traem sua própria consciência para continuar enganando o povo que diz representar. Imaginemos quantos empresários estão presenciando o inevitável declínio de uma vida toda de trabalho. Imaginemos quantas pessoas estão sendo afetadas psicologicamente com potencial em desenvolver depressão, esquizofrenia e tantos outros males. Imaginemos quantas pessoas estão sendo afetadas pelo preconceito, carregando o peso da desinformação propagada por uma mídia delinquente, digo delinquente no sentido literal da palavra, e pela irresponsabilidade de gestores que colocam seus interesses pessoais acima das pessoas. São gestores incapazes de contrariar a falsa unanimidade instaurada, especialmente pela grande mídia.
 
AUTORITARISMO
 
Vejamos na prática alguns dos muitos casos de abuso de autoridade que tem acontecido em nosso País. Em São Paulo, a Secretaria de Segurança Pública emitiu no Diário Oficial a resolução SSP 26, de 20 de março de 2020 que “dispõe sobre as diretrizes para o manejo e seguimentos dos casos de óbito no contexto da pandemia CONVID-19 no Estado de São Paulo”. Conforme a resolução “qualquer cadáver, independentemente da causa da morte ou da confirmação de exames laboratoriais deve ser considerado um portador potencial de infecção por convid-19”.  É no Estado de São Paulo também que o governador João Dória (PSDB) decidiu monitorar os passos dos paulistas por meio dos seus aparelhos de celulares. Insatisfeito com o resultado, o governador Dória ameaçou a população pela TV de mandar prender aos que desobedecerem a suas ordens.
 
Em Araraquara interior paulista uma mulher foi detida por descumprir decreto sobre quarentena. No estado de Goiás o governador Ronaldo Caiado (DEM), primeiro emitiu decreto suspendendo todas as atividades e agora emitiu novo decreto limitando o poder de compra das pessoas. Segundo o professor e Youtuber Gustavo Gayer, com o novo decreto de Caiado, o cidadão ao ir no supermercado pode comprar apenas dois papéis higiênico e no máximo cinco itens dos demais produtos. Se passar disso o estabelecimento comercial será multado.
 
No Piauí o governador Wellington Dias, depois de emitir uma série de decretos, praticamente parou o Estado e, ainda enfrenta denúncias por falta de transparência nos gastos relacionados ao combate do vírus chinês. Na segunda-feira, dia 13 de abril, o Secretário Estadual de Saúde do Piauí, Florentino Neto, publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) um termo de ratificação do processo de dispensa de licitação nº 115/2020, permitindo a contratação da empresa Costa Assistencial Ltda, que vai alugar 10 ambulâncias para o Estado por uma “bagatela” de nada mais nada menos de que R$ 1.104.000,00 (um milhão, cento e quatro mil reais). De acordo com matéria publicada no site Tribuna do Nordeste “até agora o Governo do Piauí gastou R$ 156 milhões no combate ao coronavírus, mas não detalhou como esses gastos foram feitos”. O Site Tribuna do Nordeste ainda denuncia a compra pelo governo do Piauí de “uma página na Folha de São Paulo por R$ 400.000,00 para anunciar isenção fiscal e medidas para combater o Covid-19 no Estado”. Confira a matéria na íntegra AQUI.
 
Na cidade de Picos, o prefeito José Walmir de Lima (PT) também suspendeu as atividades da cidade, emitiu decreto ameaçando multa de 500 a 10 mil reais, mediante o descumprimento da ordem e, na quinta – feira, dia 16 de abril, após anúncio do primeiro caso diagnosticado com o vírus chinês, feito na quarta – feira, dia 15 de abril, pelo Secretário Municipal de Saúde Dr. Waldemar Junior, ainda foi colocado um carro de som na rua tocando o terror, inclusive relembrando a todos das multas previstas em decreto. Em matéria publicada pelo Boletim do Sertão na quinta-feira, dia 16 de abril, o presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Picos, vereador Hugo Victor (MDB) disse que “antes de ter uma estrutura mínima do SUS não tem como abrir o comércio”. A declaração de Hugo Victor vem contrapor um ofício encaminhado pelos dirigentes lojistas de Picos.
 
Ao que indica existe uma torcida organizada em prol do vírus chinês. É esta a sensação que fica a cada caso anunciado. É notória uma espécie de ansiedade tanto por parte dos órgãos públicos como por uma parte da imprensa. O primeiro caso diagnosticado em Picos teve direito a coletiva de imprensa, nota oficial da prefeitura, histeria nas redes sociais, rendeu memes, enfim, foi o assunto do dia. No dia seguinte novos exames foram feitos e, magicamente, o primeiro caso do vírus chinês em Picos apareceu com esse destaque no site da Cidade Verde - Exame negativo põe Picos com caso de cura do Coronavírus. No sábado dia, 18 de abril, foi anunciada a morte de uma mulher de 79 anos, como sendo a décima morte por coronavírus no Piauí e a primeira morte pelo vírus em Picos. Pelo que consta, há controvérsia nessa história, pois familiares da idosa tem contestado o fato. Fiz uma pesquisa nos sites de Picos e até a publicação deste texto não tinha nenhuma matéria com a versão dos familiares. Tudo isso é muito estranho, né?
 
Enfim, salta aos olhos o autoritarismo expresso na atitude desses gestores que do alto de suas cátedras determinam o que o cidadão que trabalha para ganhar o pão de cada dia deve fazer ou deixar de fazer. Fazem isso, porque ganham muito bem para fazer pouco ou quase nada pelo povo; fazem isso, porque seus empregos na pior das hipóteses continuam assegurados; fazem isso, porque sabem que a imprensa, especialmente quando tem relações financeiras, é incapaz de questionar certas ações e atitudes. Diante do exposto é inevitável a conclusão de que o Estado do Piauí está refém do governador Wellington Dias, da mesma forma a cidade de Picos está refém do prefeito José Walmir, tendo a Assembleia Legislativa do Estado e a Câmara Municipal de Picos, com o apoio da maior parte da Imprensa estadual e local como cumplice.
 
OUTRAS PERSPECTIVAS
 
Se você chegou até aqui é sinal que tem interesse pelo assunto. Neste sentido, recomendo uma entrevista feita pelo jornalista e Youtuber Bernardo Kuster com o Dr. Anthony Wong a respeito da “pandemia” e das decisões arbitrárias que estão sendo adotadas por muitos governadores e prefeitos no Brasil. Para o Dr. Anthony Wong os gestores brasileiros que tem propagado o medo e o pânico nas pessoas deveriam ser acusados de “irresponsabilidade civil”. Ele explica que é consenso entre os pesquisadores que para “cada 100 pessoas diagnosticadas (com um vírus desse perfil), tenha pelo menos 35 mil infectadas”. De acordo com Dr. Anthony “a irresponsabilidade governamental dos estados e municípios criou um pânico tão grande na população, que se alguém falar, que o coronavírus não é tudo isso que tem sido propagado, muitas pessoas já não acreditam”. Ele conta que existem casos que o filho leva o pai ao hospital, faz os exames e é diagnosticado com dengue hemorrágica, aí o filho celebra dizendo: “graças a Deus que não é coronavírus”, sendo que a dengue hemorrágica é muito mais grave. Confira a entrevista AQUI.
 
MORTES NO BRASIL
 
Toda vida importa, e esta importância deve ser evidenciada a partir da concepção até a morte natural. Mas, para estabelecer um paralelo entre as mortes provocadas pelo vírus chinês e algumas doenças já existente no Brasil, vou compartilhar com você alguns números apresentados pelo médico Gustavo Victorino, no dia 09 de abril, durante participação na Rádio Pampa FM, 97,5. Conforme Dr. Gustavo Victorino, do dia 01 de janeiro a 31 de março de 2020, o Portal do DATASUS apresenta os seguintes dados do perfil das mortes no Brasil: “doenças cardíacas 41.425 mortes; doenças cerebrovasculares AVC 29.308 mortes; infecções das vias aéreas oriundas de resfriados 20.712 mortes; Alzheimer e complicações decorrentes da doença 18.123; doenças bronco pulmonares com complicações agudas respiratórias 15.534; mortes por violência – tiro, facada, briga etc 14.499; mortes por complicações de diabetes 12.945; mortes por acidentes de trânsito 10.356; doenças renais e complicações oriundas da patologia 8.285; cirrose e consequências da cirrose 7.763”. E o vírus chinês? Bom, o vírus chinês até domingo, dia 19 de abril, vitimou 2.462 pessoas. Agora, tire suas conclusões.
 
OMS
 
A Organização Mundial de Saúde - OMS, tardiamente recomendou o isolamento social horizontal adotado pelos chineses. Digo tardiamente, pelo fato da OMS mesmo sabendo sobre o vírus no mês de janeiro, só veio anunciar a pandemia no mês de março, depois que o vírus tinha sido espalhado pelo mundo inteiro. Essa desinformação da OMS tem rendido muitas críticas e provocou a suspensão de recursos por parte dos EUA, principal financiador da Organização. Apesar disso, a OMS se tornou a principal autoridade na fundamentação dos decretos emitidos, especialmente aqui no Brasil. Percebendo os excessos, para não dizer o erro cometido e o eminente colapso da economia mundial, diante das medidas adotadas em muitos países, o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, fez a seguinte declaração:
 
“Então, no chamado ‘lockdown’, talvez alguns países já tenham tomado medidas para o distanciamento físico, fechado escolas e prevenindo-se de aglomerações e assim por diante. Isso pode comprar tempo. Mas, ao mesmo tempo cada País é diferente. Alguns países tem um sistema de auxílio social forte. E em alguns países não tem. Eu sou da África como vocês sabem. E eu sei que muitas pessoas tem que trabalhar todos os dias para ganhar seu pão diário. E os governos tem que levar esta população em conta. Se fecharmos ou limitarmos movimentações, o que acontecerá com estas pessoas que tem que trabalhar todos os dias e tem que ganhar o pão de cada dia todos os dias? Então cada País, baseado em sua situação deveria responder a esta questão”.
 
Neste ínterim, a OMS já admitiu que o isolamento social praticado em alguns países, passou a concentrar a transmissão do vírus no ambiente familiar. Esta afirmação dá margem para duas interpretações: primeiro que o isolamento social não resolve o problema, e, segundo, essa prática cria outro problema à propagação do vírus no seio familiar. Com essa constatação a OMS propõe que o Estado trate a questão indo às famílias fazendo os testes em domicílio e ao diagnosticar os infectados afaste-os da família. É uma orientação no mínimo questionável. Imagine, você está em casa e por alguma razão chegue uma equipe do governo e faça testes em seus familiares, e constate que um filho seu menor de idade ou um idoso está infectado como o vírus chinês e por isso precisa ser isolado dos demais membros da família. Qual seria sua reação? Não se surpreenda se isso vier a acontecer! Pois faz parte de declarações feitas por membros da Organização Mundial de Saúde.
 
Recentemente, o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom, fez a seguinte declaração:
 
“Enquanto alguns países estão considerando como avaliar restrições, outros estão considerando se as introduzem. Especialmente muitos países de renda média e baixa, na África, Ásia e América Latina. Em países com uma grande população pobre as ordens para ficar em casa e outras restrições usadas em alguns países de renda alta podem não ser práticas. Muitas pessoas pobres, imigrantes e refugiados já estão vivendo em condições de superlotação, com poucos recursos, e pouco acesso a sistemas de saúde. Como você sobrevive a um “lockdown” quando depende do seu trabalho diário para comer? Notícias ao redor do mundo descrevem quantas pessoas estão em perigo de serem deixadas sem acesso a alimentos. Como eu disse muitas vezes, restrições para distanciamento físico é apenas parte da equação. Existem muitas outras medidas de saúde pública que precisam ser postas em prática. Também pedimos a todos os países, que garantam que onde medidas para “fique em casa” elas não devem ser às custas dos direitos humanos. Cada governo deve avaliar sua situação, enquanto protegem todos os seus cidadãos especialmente os mais vulneráveis”.
 
O QUE FAZER?
 
Considerando o que foi dito até aqui, restam duas possibilidades para o julgamento das personalidades políticas que assim procedem perante o povo: o juízo de Deus no plano espiritual e o juízo do eleitor no plano temporal. É verdade que o juízo do eleitor pode ser corrompido, pela propaganda institucional. Um exemplo recente que temos é a reeleição do governador Wellington Dias (PT). Um político totalmente desprovido de condições para continuar administrando o Estado, mas, ao que indica gasta somas relevantes com a imprensa para poder manter a imagem e sabe fazer, ao que parece o jogo do “toma lá dá cá” ou da famosa “governabilidade”, e assim, consegue tocar o governo com o mínimo de oposição. Não é difícil perceber que a ausência de oposição ao governo do Piauí não é por causa da excelência do trabalho, pois, se assim fosse, não existia tantas deficiências no sistema de saúde – que o diga o Hospital Regional Justino Luz de Picos, na educação – com o massacre institucional aos professores e por aí vai. Nada mal para um gestor que está há 14 anos no comando do Estado do Piauí.
 
CONSIDERAÇÕES
 
A intenção com esta análise é demonstrar, mesmo que resumidamente, a minha percepção do que estão fazendo com o POVO brasileiro, piauiense e picoense. Ao que pese os cuidados necessários no enfrentamento à epidemia do vírus chinês, é preciso ser dito em alto e bom som que as pessoas estão sendo enganadas por personalidades políticas de caráter duvidoso. E este caráter duvidoso é notável nas medidas adotadas, nas “informações” compartilhadas e na falta de transparência com o dinheiro público, especialmente nesse tempo de crise. Portanto, ver além do que estar sendo dito, buscar outras fontes de notícias, e comparar o que está sendo informado e como está sendo informado é o nosso grande desafio como cidadão. Precisamos urgentemente identificar essas personalidades políticas (governadores, deputados, prefeitos, vereadores) e fixar seus rostos e nomes em nossa memória, e assim, nas próximas eleições conceder-lhe o veredicto que de repente possa ter sido negado pelo poder judiciário.
 
OBSERVAÇÃO: Se você considerar que esta análise é de utilidade pública passe a diante, compartilhe com outras pessoas, se por acaso você considerar que num vale nada, ignore-a. Em todo caso, deixe sua opinião ou seu argumento que será sempre bem vindo.

ATUALIZAÇÃO

Em ofício encaminhado a Presidente da Associação Comercial e Industrial de Picos, Raylla Rufino Gomes Leal, nesta segunda feira, dia 20 de abril, o prefeito José Walmir de Lima, informa que está sendo elaborado um "Plano de retomada das atividades econômicas". De acordo com o gestor, o Plano "deve ser apresentado a sociedade até o dia 30 de abril". O gestor informa ainda, que "não havendo agravamento no quadro relacionado com a pandemia do coronavírus na cidade de Picos nos próximos dias, o Plano estabelecerá a abertura gradual do comércio a partir do início de maio de 2020". Agora é aguardar pra ver o que vai acontecer!

MATÉRIA RELACIONADA


Primeiro diagnóstico de coronavirus em Picos e a histeria coletiva
 
Daniel Jorge
Enviado por Daniel Jorge em 20/04/2020
Alterado em 22/04/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários