Daniel Jorge
A poesia faz a gente ver a vida de forma diferente, mesmo enfrentado tudo e todos.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
08/06/2018 07h00
AUTOPROMOÇÃO

Como cristãos, precisamos evoluir e pensar nossas iniciativas não somente como indivíduo, mas, como comunidade. Em outras palavras, por mais que eu carregue a melhor das intenções e tenha condições financeiras de coloca-las em prática, só estarei agindo com sabedoria se envolver a comunidade. Caso contrário, estarei agindo mesmo que inconscientemente em prol de uma autopromoção. Isso contradiz o sentido cristão de ser Igreja.

 


Publicado por Daniel Jorge em 08/06/2018 às 07h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
07/06/2018 16h54
MEU CORAÇÃO


Publicado por Daniel Jorge em 07/06/2018 às 16h54
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/05/2018 16h15
FALTA PREPARO?

Eu entendo que para o Católico leigo questionar o preparo intelectual e espiritual do seu pastor, ele precisa por coerência, se colocar na posição de ser um homem ou uma mulher preparado (a). Que saiba no mínimo defender com sabedoria, as causas que acredita. Que não transforme a indignação que diz sentir, em desrespeito a fé que diz professar.

 


Publicado por Daniel Jorge em 30/05/2018 às 16h15
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
28/03/2018 12h00
ATIVISMO FEMINISTA SEGUNDO AS AMERICANAS SUZANNE VENKER E PHYLLIS SCHLAFLY

Para emitir uma ideia sobre o feminismo, podemos recorrer as Americanas Suzanne Venker e Phyllis Schlafly no livro – O outro lado do feminismo – onde levantam um questionamento pertinente relacionado ao tema em questão: "quando se trata de independência das mulheres, onde o conservadorismo se encaixa"? Refletindo um pouco sobre a questão é possível perceber que as mulheres conservadoras não têm vez no feminismo, portanto, a ideia de feminismo como movimento das mulheres é equivocada. As próprias autoras ressaltam isso no livro ao afirmar. "o movimento feminista nunca foi a favor de todas as mulheres, apenas das liberais. Não foi idealizado para criar condições de igualdade, e sim para reorganizar a sociedade a fim de tornar a vida mais conveniente para as feministas. O movimento foi idealizado 'para mudar o discurso, o tempo e a natureza do mundo'."

As escritoras também esclarece que as feministas atuam da seguinte forma: “elas usam uma terminologia favorável - direitos das mulheres, direito de reprodução, violência contra as mulheres - para atrair a comoção das pessoas e marginalizar aqueles que discordam, fazendo-os parecer atrasados ou provincianos". Suzanne Venker e Phyllis Schlafly ressaltam ainda a confusão que as feministas têm criados no imaginário das pessoas, fazendo-as acreditarem que "para o progresso existir é necessária à libertação das mulheres - libertar-se dos homens, dos filhos, dos conceitos da sociedade, de quase tudo que faça a mulher se sentir moralmente obrigada a alguém ou alguma coisa que não seja ela mesma". E concluem: “O feminismo e as feministas não desaparecem só porque não fazem mais passeatas nas ruas. Elas simplesmente se livraram dos protestos barulhentos e se transformaram na (‘essência’) da sociedade".

Confira mais informações

Iguala OAB: Ápice do ativismo feminista na OAB-PI


Publicado por Daniel Jorge em 28/03/2018 às 12h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
27/03/2018 12h00
PAPA FRANCISCO SOBRE IDEOLOGIA DE GÊNERO

Na Audiência Geral realizada no dia 15 de abril de 2015, onde tratou sobre família, Sacramento do Matrimonio e Ideologia de Gênero, o Papa Francisco exortou os cristãos a despertarem para o fato que: “a cultura moderna e contemporânea abriu novos espaços, outras liberdades e renovadas profundidades para o enriquecimento da compreensão (das diferenças entre homem e mulher)”. Mas, continua o pontífice, “introduziu inclusive muitas dúvidas e um grande ceticismo. Por exemplo, pergunto-me se a chamada teoria do gender – Ideologia de Gênero – não é também expressão de uma frustração e resignação, que visa cancelar a diferença sexual porque já não sabe confrontar-se com ela. Sim, corremos o risco de dar um passo atrás. Com efeito, a remoção da diferença é o problema, não a solução”.

E acrescenta o Santo Padre: “para resolver as suas problemáticas de relação, o homem e a mulher devem falar mais entre si, ouvir-se e conhecer-se mais, amar-se mais. Devem tratar-se com respeito e cooperar com amizade. Só com estas bases humanas, sustentadas pela graça de Deus, é possível programar a união matrimonial e familiar para a vida inteira. O vínculo matrimonial e familiar é algo sério, e para todos, não apenas para os crentes”. E conclui com uma exortação aos intelectuais: “gostaria de exortar os intelectuais a não desertar este tema, como se fosse secundário para o compromisso a favor de uma sociedade mais livre e mais justa”.

Confira mais informações

Por que querem anular a lei que proíbe Ideologia de Gênero nas escolas de Picos?


Publicado por Daniel Jorge em 27/03/2018 às 12h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 3 de 9 1 2 3 4 5 6 7 8 9 [«anterior] [próxima»]